Fillers, um Mal necessário?


Amados por alguns e odiados por muitos mais, será que os fillers nos animes são um mal necessário? Será que a indústria anime atual e a sua economia já não sobrevive sem eles?
O que são Fillers? Filler (literalmente enchimento em inglês) é o termo utilizado para denominar episódios ou arcos inteiros de uma série anime cujo enredo não se baseia no manga do qual a série foi adaptada. 
Os fillers em animes acontecem principalmente por duas razões:
  1. O manga ainda não terminou e o anime tem de divergir
  2. As estações televisivas japonesas são rígidas nos contratos (26 episódios significam 26 episódios) e os estúdios introduzem fillers
Por vezes desvalorizados os fillers têm um papel importante na indústria anime:
  • Alguns animes não existiam

O exemplo mais gritante de um anime que não existiria sem fillers é K-ON!, um comprovado sucesso financeiro da era moderna mas o problema é que 99% do que acontece no anime não aconteceu no manga pois K-ON! é na realidade um manga Yonkama, significando que cada capítulo apenas utiliza 4 frames para contar a pequena história.
Os relacionamentos, concertos e crescimento das personagens ao longo de K-ON! só foi possível pois a Kyoto Animation expandiu tudo. Essencialmente o anime é K-ON! só de nome e encaixa perfeitamente na definição de “filler”.
Os fãs de anime mais puristas afirmam que nada deve ser acrescentado à história do manga significando isso que K-ON! não deveria existir, aliás, nenhum anime baseado num yonkoma deveria existir. Mas será que querem viver num mundo sem NichijouWorking!! ou até Monthly Girls’ Nozaki-kun?
O mesmo argumento se aplica a jogos e light novels que necessitam sempre de ser revistos pois o que funciona num jogo nem sempre funciona num anime.
  • A maioria dos animes não teria Fim

O maior problema em adaptar um manga atualmente popular é que estes tendem a não estarem perto do seu fim.
Aquando da adaptação de obras como Noragami ou Soul Eater (na altura) o estúdio teve de tomar a difícil decisão de como terminar o anime. Nem todos os arcos do manga têm um final bem definido e se uma segunda temporada não está garantida o estúdio não quer dar aos fãs falsas esperanças.
Mas se o arco atual não permite isto, temos o que se chama de “gecko ending”. Os últimos 3 a 4 episódios de um anime, como Noragami, podem mudar para um rápido arco original para permitir um final. Se uma segunda temporada for aprovada o “gecko ending” pode ser facilmente ignorado.
  • O mangaka concorda com os fillers

Sim, às vezes o que os fãs mais detestam é algo com o qual o mangaka concorda perfeitamente.
Um exemplo famoso disto é o anime Fullmetal Alchemist de 2003 onde a mangaka Hiromu Arakawa disse ao estúdio Bones que eles podiam continuar a sua própria história assim que ficassem sem material do manga. 
Numa entrevista à NewType USA ela afirmou:
Manga e anime são modos diferentes de expressão, e diferentes artistas estão envolvidos. Não há nenhum ponto em ter uma história cross-media se tudo é exatamente o mesmo em todas as versões
O mesmo ponto de vista é partilhado por Hideaki Sorachi, o criador de Gintama, pois existem algumas piadas que só funcionam bem em determinados mediums.

É verdade que quando um filler é mau pode arruinar o ritmo de uma série, mas também só porque algo é um filler não significa que seja necessariamente algo mau. Alguns deste arcos originais são necessários para garantir um anime sólido que se alinha com o material original ou então para garantir o cumprimento de contratos.
Atendendo que a indústria anime tem atualmente tendência para adaptar as mais recentes e populares obras sejam elas mangas, jogos ou novels, os fillers estão para ficar.

Via: OtakuPT
Tecnologia do Blogger.