Cobertura - Brasil Comic Con 2014

 - O que rolou durante a Brasil Comic Con 2014,

organizado pela Yamato Comunicações -


 Eventos que reúnem uma grande diversidade de títulos baseados na cultura nerd sempre chamam muito a atenção. O mais famoso e concorrido do mundo sem dúvida é a San Diego Comic Con. Por aqui esse tipo de programa sempre contou com seus nichos — como a FIQ, que é voltada para o mercado de quadrinhos, e a Anime Friends focada em títulos da cultura japonesa.
 Este ano temos não só uma, mas duas Comic Cons no país, a Brasil e a Experience. Aqui iremos contar um pouco sobre como foi a Brasil Comic Con. Ela aconteceu no último final de semana, dias 15 e 16, no Centro de Eventos Pro Magno, em São Paulo.
 A Otaku Power foi conferir o que de mais legal rolou nos dois dias de feira, juntamente com nossa parceira e amiga Haru, do Canal da Haru. Confira o vídeo que produzimos a seguir, com desafio de tapas na bunda ( ͡° ͜ʖ ͡°) e Bônus de Zoeira com o Yudi no final;



(Gabriel Garrido/Otaku Power - Claudia Andriolo/Canal da Haru - Willian Dobler/ Otaku Company)

 Acesse abaixo a Galeria de fotos do evento, feita pela Otaku Company e em seguida, um artigo escrito pelo portal LikeaNerd resumindo as atrações presentes no evento.


---

Impressões Gerais

O espaço onde o evento foi realizado é bem novo — tão novo que ainda não está terminado — e amplo. O que não significa ser uma coisa boa se não for bem distribuído e aproveitado. E foi o que aconteceu. Muita área de trânsito acabou virando espaço morto, talvez estivessem esperando um público muito superior ao que realmente apareceu. Poderiam ter favorecido a Sci-Fi Con e a Joe Con, mini “eventos” que aconteceram no 2º andar, dedicado exclusivamente a algumas obras famosas do Sci-Fi e aos Comandos em Ação, respectivamente.

Beco dos Artistas

Beco dos Artistas foi a área reservada para que quadrinistas ficassem e divulgassem seus trabalhos pessoais. Infelizmente o local não ficou em uma área muito boa, que pôde ser evitada por aqueles que apareceram, o que prejudicou os autores presentes (claro que os mais conhecidos tiveram sua audiência, afinal quem não quer conhecer Mike Deodato Jr, Luke Ross, Ed Benes… pessoalmente?), que não tiveram a atenção merecida. Talvez fosse o caso da organização dar uma força para o pessoal decorar seus espaços com banners e prints mais chamativos, colocar uma arte pessoal nas placas com seus nomes, e utilizar o ‘Beco’ como corredor de acesso ao Palco Principal e ao Auditório.

Painéis

Divididos entre o Auditório e o Palco Principal (dedicado aos “Headliners”, em sua maioria convidados internacionais). Havia espaço suficiente para montar mais um ou dois auditórios, tranquilamente. O que seria muito bem vindo para o próprio evento. Pois com certeza esse é o grande diferencial entre a convenção de Quadrinhos e a de típica convenção de Anime.

Praça de Alimentação

Na parte da comidas, seguindo a atual moda, o pátio externo estava com vários Food Trucks, na maioria de lanches. O preço foi praticamente tabelado, com o lanches na faixa de R$ 15 à R$ 20, o que tem sido o preço praticado em shows e eventos. A área coberta, no entanto poderia ter sido expandida para maior conforto do público, que era castigado por um sol fortíssimo.

Exposições

As exposições foram bem montadas, e tirando a parte pertencente à Sci-Fi Expo, estavam bem localizadas e espaçadas. O acervo estava incrível:
  • Curiosidades dos quadrinhos
  • LEGO (Star Wars, Piratas do Caribe, Batman…)
  • Playmobil
  • “Star Wars”
  • “Doctor Who”
  • “Star Trek”
  • “Battlestar Galatica”
  • Jogos de Tabuleiro
Ainda haviam réplicas ‘reais’ do Batmóvel ‘66 e do Mach 5, que não passavam despercebidos por ninguém.

Cosplay

Como sempre houve cosplayers e nossos queridos cospobres… ambos bastante bons em suas respectivas categorias. Houve concurso para selecionar os melhores, que foram compostos de apresentações bem ensaiadas que animaram o público no Palco Principal.

Estandes

Houveram poucos estandes para o espaço, com o destaque para os típicos espaços de anime e seus produtos. Os que eram mais voltados para o segmento de comics ou literatura eram mais simples (com exceção de “Harry Potter”, “Game of Thrones” e “007″) e pouco procurados se compararmos com os boxes dos animes.

Luta Livre

O pessoal da BWF (Brasilian Wrestling Federation — Federação Brasileira de Luta-Livre), montou um ringue de luta que entreteve bastante os transeuntes que paravam para admirar o espetáculo.

Conclusão do evento

O evento mostrou ter um bom potencial, mas precisa ser melhor pensado e planejado para as próximas edições. Em termos de disposição das atrações e estandes, bem como os corredores que costumam influenciar a movimentação dos visitantes. Com tantos eventos de anime no Brasil, talvez devessem tentar se afastar um pouco dos moldes (já batidos) dos mesmos, e se focar realmente em HQs (nacionais, norte-americanos e europeus principalmente), cinema e games, deixando um pouco de lado a cultura oriental.
---


-Nos vemos na Comic Con Experience!


Tecnologia do Blogger.